Notícias

Rir é, realmente o melhor remédio!

Estudos revelam que o riso diminui os níveis dos hormônios do estresse e reduz a inflamação nas artérias

Que rir e levar a vida com positividade é muito mais agradável, ninguém duvida. O bom humor nos ajuda a encarar os desafios do dia a dia de forma mais leve, com disposição e empenho, e contribui para a autoestima. Entretanto, o que talvez nem todo mundo conheça são os efeitos da risada no nosso organismo e, consequentemente, os perigos do mau humor.

“O bom humor é o estado que promove no organismo uma produção maior de serotonina, neurotransmissor responsável pelo estado de humor, bem como outras substâncias, o que gera bem-estar. Quando ele ocorre, as respostas humorais do organismo são muito mais eficientes. Quando há estado depressivo, o resultado é inverso e a imunidade cai”, explica a psicóloga clínica, cognitiva e comportamental Larissa Rodrigues, credenciada à Unimed João Pessoa, na Paraíba.

O simples ato de sorrir já é benéfico. Ele aumenta a frequência cardíaca e a pressão arterial, garantindo um fluxo maior de sangue pelo corpo. Ao gargalharmos, trabalhamos os músculos do rosto e do abdome. Esse esforço abdominal serve como um tipo de massagem para o sistema gastrointestinal, melhorando a digestão.

Já os pulmões absorvem mais oxigênio e eliminam o excesso de dióxido de carbono e vapores residuais mais rapidamente, o que contribui para a desintoxicação e limpeza desses órgãos. Estudos indicam que a risada pode até influenciar no controle do diabetes e colesterol, obviamente não substituindo o tratamento adequado e acompanhado por profissionais.

Enquanto isso, o mau humor não prejudica somente o ambiente, deixando-o pesado e tenso. Ele provoca reações fisiológicas que resultam no enfraquecimento do sistema de defesa do corpo, que fica vulnerável, por exemplo, ao ataque de vírus e bactérias.

A especialista Larissa alerta ainda ao risco de doenças cardiovasculares, pois esse comportamento atua na química cerebral e causa a contração de vasos sanguíneos. “Pessoas mal humoradas tendem a se comportar como crianças mimadas que nunca podem ouvir um simples ‘não’. Parece que tudo vira catástrofe e foi feito para irritá-la. Na maioria das vezes, o mundo não está contra ninguém, tudo depende de um certo jogo de cintura onde cada um deve buscar tirar lições das situações sem se frustrar, procurando ver o lado bom.”

Em adultos, o descontentamento pode vir do ritmo de vida acelerado, da falta de assertividade, dificuldades no trabalho, nas relações interpessoais ou financeiras. As crianças podem sofrer por conflitos com amigos e pais, medo e dificuldade de aprendizado.

Sorrir com frequência é essencial para a saúde física e mental. É recomendado que as pessoas façam um rápido exame de seu comportamento em todas as esferas e vejam como estão tratando a si mesmos e ao mundo. Se você não consegue identificar o que te dá prazer e sofre com isso, procure a ajuda de um psicólogo.

FONTE: Unimed 

Compartilhe esta notícia!